rede-rs-cidade-2024-brasil-inovador-rio-grande-sul-aldo-rosa-ceo-reconstrucao-doacoes-resgate-acolhimento-abrigo-municipio-enchente-randoncorp-daniel-instituto-elisabetha-randon
industria-inovadora-2024-rede-brasil-inovacao-esg-ia-innovation-startup-aldo-rosa-ceo-palestrante-cni-sesi-senai-iel-feira-fiesp-sp
rede-brasil-inovador-2024-inovacao-innovation-trends-aldo-rosa-ceo-palestrante-ecossistema-startup-ia-esg-hub-cni-cna-cnc-universo-totvs-sp-2
rede-brasil-inovador-2024-inovacao-innovation-trends-aldo-rosa-ceo-palestrante-ecossistema-startup-ia-esg-hub-cni-cna-cnc-startse-ai-day
rede-brasil-inovador-2024-inovacao-innovation-trends-aldo-rosa-ceo-palestrante-ecossistema-startup-ia-esg-hub-cni-cna-cnc-sebrae-campinas-innovation-week-1
industria-inovadora-2024-rede-brasil-inovacao-esg-ia-innovation-startup-aldo-rosa-ceo-palestrante-cni-sesi-senai-iel-sesi-fispal-tecnologia-feira-sao-paulo

Montadora BYD sai na frente das concorrentes, abre 5 mil vagas e se tornará a primeira a fabricar carros elétricos no Brasil

Montadora BYD sai na frente das concorrentes, abre 5 mil vagas e se tornará a primeira a fabricar carros elétricos no Brasil

A BYD está perto de se tornar a primeira montadora a produzir carros elétricos no Brasil. A fabricante já é dona do carro elétrico mais barato do país e deseja ir além.

A fabricante da China, BYD, será a primeira montadora a produzir carros elétricos no Brasil. Após meses de rumores e dados não confirmados a empresa confirmou hoje (06), que instalará uma linha de produção de carros na Bahia. A multinacional também anunciou duas outras unidades no Estado, sendo uma para chassis de ônibus e trens elétricos, e outra para processamento de lítio e fosfato, dois componentes essenciais das baterias.

BYD fará investimento de R$ 3 bilhões em carros elétricos no Brasil

Segundo o CEO da BYD Américas, Stella Li,  a montadora está trazendo seu ecossistema verde para a Bahia e busca tornar o estado um centro de inovação e de alta tecnologia. O investimento da empresa será de R$ 3 bilhões. O plano da companhia é que as instalações de Camaçari sejam o polo de manufatura para a América Latina, segundo Li. A expectativa é dar início à produção no segundo semestre do próximo ano. tudo indica que a multinacional assumirá uma fábrica em Camaçari que pertencia à Ford e está desativada desde 2021, entretanto ainda não houve nenhum acordo.

A fábrica de carros elétricos terá capacidade de produzir 150 mil unidades anualmente em sua primeira fase. Este número pode dobrar com expansões futuras. A BYD já afirmou que fabricará pelo menos um carro elétrico no Brasil.

A estimativa é que seja um modelo de mais baixo custo, como é o caso do Dolphin. De acordo com o anúncio feito hoje, também serão produzidos veículos híbridos. Com as isenções concedidas aos carros elétricos no Brasil, a empresa começou a vendê-lo por R$ 150 mil na versão importada. Nos primeiros quatro dias, foram vendidas mais de 1 mil unidades.

Carro elétrico da BYD de R$ 55 mil deve chegar ao país em breve

A BYD já oferece outros três carros elétricos no Brasil, e um híbrido plug-in, também importados. Não foram divulgados mais detalhes sobre a planta de materiais para as baterias.

O comunicado oficial da multinacional afirma apenas que o lítio e o fosfato serão processados para suprir as demandas do mercado externo. Um dos planos da montadora da China é trazer ao Brasil, já em 2024, o BYD Seagull, modelo mais barato da companhia que, atualmente, custa o equivalente a R$ 55 mil.

A multinacional BYD, líder mundial em vendas de carros elétricos, está prestes a confirmar uma nova unidade de produção em Salvador. O primeiro modelo elétrico da companhia, chamado de Dolphin, foi lançado no país na última semana. O carro elétrico é um hatch que custa R$ 149 e impressiona o mercado com sua tecnologia inclusa, contando com internet, videogame, controle por voz e até karaokê.

Mercado de veículos elétricos brasileiros mudará completamente

A chegada das chinesas como a BYD e a Great Wall Motors, que também começará a produzir localmente, promete chacoalhar o mercado de carros elétricos no Brasil e os planos do setor para uma transição para veículos de baixas emissões.

Tanto as montadoras estabelecidas quanto o governo apostam na tecnologia dos carros híbridos flex tradicionais. Eles não podem ser abastecidos com energia elétrica, sua bateria é pequena e só é carregada na frenagem ou pelo próprio motor a combustão.

Há dois principais motivos para essa transição gradual. O primeiro deles é o domínio da tecnologia do etanol e a extensa rede de distribuição deste biocombustível no país. O outro é o custo das baterias. Elas são o componente mais caro de um carro elétrico e têm de ser importadas ao Brasil.


https://clickpetroleoegas.com.br