rede-rs-cidade-2024-brasil-inovador-rio-grande-sul-aldo-rosa-ceo-reconstrucao-doacoes-resgate-acolhimento-abrigo-municipio-enchente-randoncorp-daniel-instituto-elisabetha-randon
industria-inovadora-2024-rede-brasil-inovacao-esg-ia-innovation-startup-aldo-rosa-ceo-palestrante-cni-sesi-senai-iel-feira-fiesp-sp

Nova Escola SESI em SC e projeto sobre cidadania

Nova Escola SESI em SC e projeto sobre cidadania

Nova Escola SESI em SC e projeto sobre cidadania

A semana da indústria foi repleta de incentivos para a ciência e tecnologia, além de unidades de ensino reformuladas

As federações finalizaram a semana investindo em ciência e tecnologia, ações artísticas e educativas. Confira os destaques:

Solar Barão de Guajará será revitalizado

A Federação das Indústrias do Estado do Pará (FIEPA) e a Secretaria de Cultura do Estado do Pará (SECULT-PA) firmaram uma parceria inédita com o objetivo de captar recursos, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura (Lei Rouanet), para a restauração do Solar Barão de Guajará, um dos marcos arquitetônicos mais emblemáticos do centro histórico da cidade.

A revitalização do local, onde hoje funciona o Instituto Histórico e Geográfico do Pará (IHGP), faz parte das preparações de Belém para receber a Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas (COP 30), em 2025. A meta é captar R$ 14.803.258,30, necessários para execução do projeto.

“Estamos muito felizes em anunciar esta parceria histórica entre a FIEPA e a SECULT-PA, para contribuir com a captação dos recursos via Lei Rouanet e dar um passo significativo para a revitalização do Solar Barão de Guajará, um ícone do nosso patrimônio histórico. Esta iniciativa não apenas preserva nossa rica herança cultural, mas também demonstra nosso compromisso em preparar Belém para sediar a COP 30 em 2025. Estamos firmemente dedicados a contribuir para um futuro mais sustentável, preservando nossas raízes e garantindo um legado para as gerações seguintes”, afirmou o presidente da FIEPA, Alex Carvalho.

Em eleição simulada, alunos da Escola SESI fazem campanha e aprendem sobre cidadania

Alunos do 9º ano do ensino fundamental da Escola SESI Campo Grande embarcaram em uma jornada educativa única, participando de eleições em um país fictício chamado “País SESI”. Sob a orientação de professores de redação, português e história, os estudantes mergulharam em debates sobre diversidade e inclusão social, explorando conceitos-chave de cidadania e processo eleitoral.

A iniciativa tinha como objetivo central realizar uma eleição presidencial simulada, proporcionando aos alunos uma experiência prática e imersiva na democracia participativa. Cada estudante teve oportunidade de exercer diferentes papéis, desde candidatos até assessores, coordenadores, secretários e equipe de apoio, cada um com responsabilidades e atribuições específicas no processo eleitoral.

Ao longo do processo, os alunos foram incentivados a aprimorar suas habilidades de argumentação, ampliar seu repertório de conhecimento e envolver-se ativamente na busca por soluções para problemas complexos, ao mesmo tempo em que aprofundavam sua compreensão sobre sua própria cidadania e contexto social. Confira mais detalhes sobre a atividade, no site da FIEMS.

FIEMA inicia projeto Inova Sindicatos na Região Tocantina para impulsionar e fortalecer setor produtivo industrial

O projeto Inova Sindicatos, voltado para promover a inovação e competitividade em diversos setores da indústria maranhense, alcançou um marco significativo ao chegar à Região Tocantina.

Na última semana, a equipe técnica do projeto realizou visitas estratégicas a empresas associadas aos Sindicatos das Indústrias da Construção Civil do Oeste do Maranhão (Sinduscon Oeste), Sindicato das Indústrias Metalúrgicas e Metalmecânica de Imperatriz (Simetal), Sindicato das Indústrias de Móveis de Imperatriz (Sindimir), Sindicato das Indústrias de Panificação e Confeitaria (Sinpancimp) além de reuniões pontuais com os representantes dos sindicatos de couro e de carvão vegetal.

Entre captar demandas e propor soluções, o foco é impulsionar as entidades que representam as empresas industriais do Maranhão no Sul do estado. Além de identificar os pleitos mais urgentes dos empresários, que vão desde a escassez de mão de obra até necessidades de treinamento e oportunidades de mercado, as visitas técnicas permitiram à FIEMA traçar um panorama abrangente dos desafios enfrentados pelos setores da construção civil, metalmecânica, panificação, carvão vegetal e couro na região, apontando caminhos para futuras melhorias.

FIESC entrega Escola SESI

A Federação das Indústrias (FIESC) entrega nesta sexta-feira, dia 26, a Escola SESI de Referência em Joinville, a maior do Brasil, com 25 mil metros quadrados. O presidente da FIESC, Mario Cezar de Aguiar, recebeu o governador do estado, Jorginho Mello, autoridades e lideranças industriais.

A estrutura, que recebeu mais de R$ 150 milhões em investimentos, está em funcionamento desde fevereiro atendendo 2 mil estudantes (com previsão de chegar a 5 mil nos próximos anos) da educação básica – do ensino fundamental ao médio – além de oferecer atividades no contraturno escolar. Sua estrutura inclui biblioteca, 14 laboratórios, 51 salas de aula, quatro quadras poliesportivas, piscina semiolímpica e espaço para o cultivo de horta.

O restauro do Moinho Joinville é outro destaque do projeto executado pela FIESC, um importante legado para a revitalização da região do Rio Cachoeira, projeto que é liderado pela prefeitura de Joinville.

“A preservação do Moinho Joinville mantém viva a história de uma das primeiras indústrias do município. Também se consolida como uma oportunidade educacional única para as gerações que estão se formando conosco, pois evidencia a importância da valorização do patrimônio cultural”, salienta Aguiar.

Na quinta-feira, a FIESC também apresentou à comunidade industrial novas estruturas do SENAI em Joinville. Foram investidos mais de R$ 12 milhões para equipar o Habitat de Manufatura Avançada, no Instituto SENAI de Inovação, e modernizar laboratórios da área da metalurgia e fundição, instalados no SENAI Norte. Veja mais sobre as entregas, no site da FIESC.

SENAI CETIQT oferece oficinas gratuitas no Rio Artes 2024

Teve início, nesta semana, no Centro de Convenções EXPOMAG, centro da cidade do Rio de Janeiro, a 16ª edição da Rio Artes, principal feira de capacitação e negócios do setor de economia criativa do estado, onde especialistas e docentes do SENAI CETIQT palestraram no palco principal e oferecer oficinas gratuitas no estande da instituição.

Com o objetivo de fomentar modelos de negócio e gestão originados do conhecimento e criatividade, a feira se destaca como um catalisador de trabalho e renda, consolidando o estado como líder nesse setor. Trazendo o pilar de diversidade, com atividades voltadas para PCD’s e público jovem, a feira vai abordar de forma abrangente a economia criativa nacional, explorando o artesanato, a moda, decoração, saúde, gastronomia, sem deixar de lado o contexto principal de gestão do empreendedorismo e expressão cultural.

Participando pela primeira vez, o SENAI CETIQT traz conhecimentos-chave para quem trabalha, ou deseja trabalhar, no mercado da moda, através de palestras e oficinas que acompanham as tendências da indústria têxtil e de confecção. Veja mais sobre a participação do SENAI CETIQT no evento.

ISI Biomassa participa de desenvolvimento de plataforma para criação biodefensivos sustentáveis

O estado do Mato Grosso do Sul ocupa lugar estratégico no agronegócio nacional e o aperfeiçoamento de técnicas é essencial para manter a qualidade das produções. Com conhecimento prático sobre o cenário local, o Instituto SENAI de Inovação em Biomassa, de Três Lagoas, é um dos participantes de pesquisa para desenvolvimento de uma plataforma para identificar novos ingredientes para criação de biodefensivos sustentáveis.

O projeto DisBio, plataforma de inovação disruptiva para novos biodefensivos sustentáveis, foi um dos contemplados na modalidade BFA (Basic Funding Alliance) da Embrapii (Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial), com valor estimado em aproximadamente R$ 15 milhões. O projeto é um dos maiores de biotecnologia já aprovado pela empresa.

A pesquisa é liderada pelo ISI (Instituto SENAI de Inovação) Biossintéticos e Fibras, localizado no Rio de Janeiro. A unidade possui uma plataforma de biotecnologia que é equipada com tecnologia de ponta para sequenciamento de DNA, considerada padrão-ouro na pesquisa genômica, juntamente com uma plataforma de processos químicos que possui tecnologias avançadas para aprimoramento e otimização de processos de produção. Para saber mais, acesse o site da FIEMS.

FIEPR lidera ação para transformar resíduos de indústrias de Curitiba em energia

Um projeto-piloto para transformação de resíduos das indústrias em energia está em estudo na Federação das Indústrias do Paraná (FIEP), por meio do Conselho Temático de Energia, em parceria com o Centro Internacional de Energias Renováveis (Cibiogás), a indústria de embalagens Embrart e a Associação das Empresas da Cidade Industrial de Curitiba (Aecic).

A intenção é unir esforços e investimentos para implantação de uma planta de biogás – biocombustível produzido a partir da decomposição de materiais orgânicos que, após transformado, resulta em uma eficiente fonte de energia.

Ainda em fase de estudos, o projeto será uma alternativa para as empresas reduzirem os custos com a conta de luz e uma boa medida para minimizar impactos ambientais. Estão previstas três etapas de implantação: a FIEP é responsável por financiar a primeira fase, que envolve a realização de pesquisas e estudos de viabilidade técnica e econômica.

Caso seja aprovado e avance, a Embrart, empresa especializada na produção de embalagens de papelão, localizada na Cidade Industrial de Curitiba, cederia parte de sua planta industrial para ser a sede da usina produtora de biogás, arcando com os custos de construção destas instalações. Ela centralizará o recebimento dos resíduos das indústrias parceiras que, por questões logísticas, estão localizadas no entorno da unidade. Veja mais sobre a iniciativa, no site da FIEP.

Indústria de petróleo e gás no ES vai receber R$ 37 bi em investimentos até 2028
A Federação das Indústrias do Espírito Santo (Findes) e o Observatório da Indústria lançaram nesta semana, a 7ª edição do Anuário da Indústria do Petróleo e Gás Natural no ES. O documento reúne os mais importantes dados e análises do setor, além de apresentar projeção de investimentos e de produção de óleo e gás até 2028.

De acordo com o estudo, serão realizados 12 projetos no Espírito Santo, envolvendo principalmente as empresas BW Energy, Petrobras, Prio e Seacrest Petróleo. Juntos, eles totalizam R$ 36,9 bilhões. Entre os principais destaques está a instalação da FPSO Maria Quitéria, a primeira plataforma elétrica do Brasil, em 2025, pela Petrobras.

O lançamento da publicação aconteceu no Palácio Anchieta, em Vitória/ES, e contou com a participação do governador do Estado, Renato Casagrande, da presidente da Findes, Cris Samorini, do vice-presidente da Findes Paulo Baraona, além de secretários de Estado e outras autoridades, empresários e especialistas do setor.  Veja mais sobre o estudo no site da FINDES.

Como participar do Brasil Indústria?
O levantamento semanal de notícias da indústria é feito pela Agência de Notícias da Indústria, com informações dos estados! Para participar, envie sua sugestão de pauta para nosso e-mail: agenciacni@cni.com.br